Criar condições para a formação de um mercado global de etanol e aumentar a comercialização e a “comoditização” do produto é o objetivo que a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) leva para a missão presidencial que acontecerá em Nova Déli, na Índia, entre os dias 23 e 27 de janeiro. O presidente Jair Bolsonaro é o convidado de honra do primeiro-ministro Narendra Modi para as celebrações do Dia da República indiano.

Com o intuito de fortalecer a cooperação técnica e a troca de conhecimentos sobre etanol, a agenda conta com a assinatura de um acordo de cooperação na tecnologia de produção e mistura de etanol à gasolina.

Assim, representantes do setor sucroenergético brasileiro compartilharão a experiência de implementação de políticas públicas no Brasil ao longo de mais de 40 anos de uso de etanol como combustível em larga escala, além de estreitar a relação com a cadeia produtiva do setor indiano, isso considerando desde a indústria de bens de capital até a indústria automobilística.

“Só será possível alcançar nosso objetivo se houver clareza sobre os benefícios dos biocombustíveis e, nisso, o Brasil é exemplo”, explicou o diretor executivo da UNICA, Eduardo Leão, que está na Índia. 

Para o presidente do Conselho Deliberativo da UNICA, Marcelo Ometto, a missão presidencial e a assinatura do acordo é o primeiro passo para o etanol se tonar de fato uma commodity internacional. “Além disso, com a Índia transformando parte de seu Açúcar Total Recuperável (ATR) em etanol e parando de subsidiar as exportações de açúcar teremos uma reversão e suporte nos preços internacionais de açúcar”, concluiu.

A Índia tem a meta de adotar a mistura de 10% de etanol na gasolina até 2022. No ano passado, alcançou 5,8% de mistura.

“A adoção do E10 na Índia será importante não só para reduzir a emissão de gases causadores do efeito estufa e melhorar a qualidade do ar nas grandes metrópoles indianas, como também para oferecer uma alternativa de diversificação de mercado aos quase 50 milhões de produtores de cana do país, que hoje dependem basicamente da produção de açúcar”, complementa Eduardo.

Missão presidencial 
Um dos eventos da missão presidencial será o seminário India-Brazil Business Forum, no dia 27, com participação do diretor executivo da UNICA, Eduardo Leão, e organizado pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

O presidente da Apex-Brasil, Sergio Segovia, destacou a importância da missão para estreitar as relações comerciais dos dois países. “Enxergamos ótimas oportunidades de negócios com o país e estamos trabalhando para promover a aproximação entre empresários brasileiros e indianos”, avaliou em nota.