fbpx

Açúcar pode ser o diferencial para superávit da balança comercial

0
10 de março de 2009

O açúcar é um dos produtos que apresentam boas perspectivas de crescimento das exportações e pode ajudar no equilíbrio da balança comercial brasileira em 2009.  No entanto, de acordo com o assessor econômico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Luciano Rodrigues, isso só será alcançado se o setor tiver acesso aos mecanismos tradicionais para o financiamento das exportações.

“É imprescindível o restabelecimento total dos mecanismos de adiantamento de receita de exportação (ACCs, ACE, NCE etc), pois com a crise financeira houve uma restrição expressiva no limite de crédito disponibilizado por meio desses instrumentos, além do aumento nos custos de captação”, afirmou Rodrigues.

Segundo os dados das exportações brasileiras para o mês de fevereiro, divulgadas nesta segunda-feira (02/03/09) pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), na comparação com o mesmo período de 2008, observa-se queda de 2,96% nas exportações de produtos básicos, de 26,9% nas exportações de produtos manufaturados e de 28,5% no caso de produtos semimanufaturados.

Entretanto, houve um crescimento de 34,5% no valor das exportações de açúcar, que totalizaram US$ 439 milhões em fevereiro de 2009, contra US$ 326 no mesmo período de 2008. Em termos de volume, o crescimento foi de 16,4%, chegando a 1,4 milhão de toneladas.

Se compararmos os dados do primeiro bimestre de 2009 em relação ao ano passado, as exportações de açúcar apresentaram um crescimento de 57,5% em termos de valor, totalizando US$ 1 bilhão. Em termos de volume, o crescimento foi de 38,4%, alcançando 3,370 milhões de toneladas em 2009 contra 2,435 milhões no primeiro bimestre de 2008.

Os preços médios obtidos no primeiro bimestre desse ano tiveram um aumento de 13,8% em relação ao ano passado. Se esses preços fossem convertidos em Reais, o crescimento ultrapassaria os 50% devido à valorização do dólar, que no primeiro bimestre de 2008 estava cotado a R$ 1,77/US$ contra os cerca de R$ 2,30/US$ deste ano.

“As exportações de açúcar estão sendo estimuladas não somente pela desvalorização do Real, mas principalmente pela redução da produção mundial e conseqüente recuperação dos preços internacionais, indicando um potencial para o Brasil”, afirmou Rodrigues.

No ano de 2008 o setor faturou mais de US$ 7,8 bilhões com a exportação de 5,1 bilhões de litros de etanol e quase 19,5 milhões de toneladas de açúcar.  Ainda que ocorra uma redução nas exportações de etanol em 2009, o setor tem potencial para aumentar suas exportações em função das boas perspectivas no mercado internacional de açúcar, comenta Rodrigues.

Ainda segundo o assessor da UNICA, “os fundamentos do mercado indicam que poderíamos aumentar de 10 a 15% nossas receitas com as exportações nessa próxima safra, desde que haja disponibilidade de crédito”.