fbpx

Argentina busca ampliar investimentos em etanol para cumprir lei federal de 2006

0
17 de novembro de 2008


A Argentina está procurando alternativas para ampliar seus investimentos na produção de etanol de cana-de-açúcar e, assim, cumprir a lei federal de 2006 que determina a mistura obrigatória de pelo menos 5% do biocombustível à gasolina a partir de 2010. Quando a medida for totalmente implantada, serão necessários 200 milhões de litros de etanol por ano.


De acordo com Eduardo Leão de Sousa, diretor-executivo da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), a lei argentina pode se tornar uma plataforma de ampla cooperação bilateral e talvez regional. “O programa da Argentina poderá incrementar a integração técnica e comercial entre os dois países na área de etanol e, eventualmente, criar uma base para o surgimento de um programa que envolva os países do Cone Sul ou até mesmo do hemisfério”, afirmou nesta segunda-feira (17/11/2008).


O executivo da UNICA já manteve contato com representantes argentinos interessados em conhecer a experiência brasileira com o etanol. Em setembro, o governador da província argentina de Chaco, Jorge Milton Capitanich, esteve na sede da UNICA em São Paulo, buscando aprofundar seus conhecimentos sobre a produção e utilização de etanol como combustível veicular.


Chaco é a segunda região da Argentina com maior potencial para a produção de cana-de-açúcar e, devido a políticas de promoção dos biocombustíveis no país, tem despertado o interesse de novos investidores. “Os números da produção brasileira de etanol são impressionantes. A Argentina apresenta um potencial ainda a ser concretizado”, afirmou o governador de Chaco.


Na ocasião, Sousa afirmou que um dos pilares de sustentação do avanço do setor no Brasil é o investimento em tecnologia de produção agrícola e industrial. “O desenvolvimento de novas variedades e manejo agrícola e industrial permitiu ganhos de produtividade a uma taxa de 2,7% ao ano, tornando o etanol brasileiro o mais competitivo no mundo”, concluiu.


Para mais informações sobre a visita do governador da província de Chaco ao Brasil, clique aqui.