fbpx

Brasil pode ser case de matriz energética renovável para a Europa

22 de julho de 2013

O Brasil é o país que melhor pode entender as ambições da Europa no que diz respeito à promoção de energias renováveis, por ter uma das matrizes energéticas mais limpas do mundo, com cerca de 45% da energia utilizada originando de fontes renováveis. Foi com essas palavras que a assessora Sênior da Presidência para Assuntos Internacionais da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Géraldine Kutas, deu início a sua apresentação no painel “Desafios da Política de Biocombustíveis na União Europeia,” durante a segunda edição do evento “Sugar & Ethanol Summit – Brazil Day,” realizado em 05 de julho em Londres.

“Seguindo o cenário da Europa, que em 2010 apresentava apenas 8,7% de energias renováveis em sua matriz, o Brasil é uma referência interessante já que nos anos 70 importava 80% de seu consumo de energia fóssil e hoje é líder mundial na produção e consumo de energias renováveis, tendo a cana-de-açúcar como a primeira fonte de energia renovável,” explicou a assessora.

Kutas considera positivo o interesse da União Europeia em promover os biocombustíveis mais eficientes do ponto de vista da redução das emissões de Gases do Efeito Estufa (GEEs) ao revisar as diretivas sobre a promoção das energias renováveis e sobre a qualidade dos combustíveis. Porém, ela acredita que uma legislação limitando a 5% o uso de biocombustíveis que utilizam matérias-primas alimentícias, como o etanol a base de cana, sem considerar seu excelente desempenho do ponto de vista da redução das emissões de GEEs, não demonstra eficiência.

Ela mencionou também o estudo da consultoria Agroicone “Simulação do Uso da Terra e da expansão agrícola no Brasil: Alimento, Energia, Impactos Agroindustriais e Ambientais”, que aponta a expansão da cana predominantemente em áreas de pastagens, ao mesmo tempo em que ocorre um aumento significativo da produtividade da pecuária. O estudo projeta que em 2022 o efeito indireto será menor do que a expansão: em um cenário de aumento da demanda adicional de 9 bilhões de litros de etanol em 2022 comparado a um cenário de referência, a área de cana aumentará  em 1 milhão de ha, enquanto a expansão da área total agrícola será de 200 mil ha. A intensificação das pastagens será determinante para esse cenário. A consequência clara dessa maior competição entre culturas e pastagens é que, para a mesma produção, menos terra precisará ser utilizada para produção e menos vegetação nativa será convertida para agricultura.

Outro tema abordado por Géraldine Kutas foi a não interferência do aumento da produção de etanol à base de cana na elevação dos preços do açúcar. Ela menciona dois estudos internacionais que analisam essa questão: “Assessing the Land Use Change Consequences of European Biofuel Policies” (Avaliando as Consequencias das Mudanças no Uso da Terra Causadas por Políticas Européias para Biocombustíveis), publicado em 2011 pelo Instituto Internacional de Pesquisas sobre Políticas Alimentares (International Food Policy Research Institute – IFPRI) e encomendado pela própria Comissão Europeia para orientar a elaboração da proposta de nova diretiva sobre biocombustíveis; e “Biofuels and Food Security – A report of the High Level Panel of Experts on Food Security and Nutrition” (Biocombustíveis e Segurança Alimentar – Relatório do Painel de Especialistas de Alto Nível em Segurança Alimentar e Nutrição), um relatório sobre biocombustíveis e segurança alimentar disponibilizado em junho de 2013 pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

A participação de Kutas no evento ocorreu por meio da parceria da UNICA com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), estabelecida em 2008 para promover mundialmente o etanol brasileiro de cana-de-açúcar como combustível limpo e renovável. Ela dividiu o painel com o chefe da Unidade de Energias Renováveis na área de Energia da Comissão Europeia, com mediação do embaixador Marcos Pinta Gama, Representante Permanente do Brasil junto a Organizações Internacionais, baseado em Londres.

Sugar & Ethanol Summit – Brazil Day

O evento “Sugar & Ethanol Summit – Brazil Day” leva à comunidade financeira européia informações atualizadas sobre o complexo agroindustrial brasileiro da cana-de-açúcar e suas perspectivas para o futuro. O evento é organizado pela Consultoria Datagro e pelo REBRASLON – Representante Permanente do Brasil em Londres, do Ministério das Relações Exteriores (MRE). A segunda edição do evento reuniu líderes empresariais, autoridades governamentais e representantes de produtores europeus.