fbpx

Câmara de Mudanças Climáticas é aberta em São Paulo

31 de março de 2020

O presidente da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (UNICA), Evandro Gussi, foi apresentado como presidente da Câmara Ambiental de Mudanças Climáticas de São Paulo, em reunião inaugural realizada hoje por videoconferência. A sessão foi coordenada pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB) e teve participação de representantes de empresas e instituições signatárias do Acordo Ambiental de São Paulo.

A presidente da CETESB, Patrícia Iglecias, fez o discurso inicial reforçando a necessidade de a Câmara construir soluções conjuntas que atendam diferentes realidades para garantir a efetiva redução de emissões e a viabilidade dos licenciamentos. “Nós temos a expectativa de que a nossa política estadual de mudanças climáticas possa de fato ser cumprida dentro daquilo que se entende como critérios da razoabilidade, dentro também da viabilidade técnica e econômica, que são os critérios fundamentais na nossa visão”, explicou.

Como primeiro presidente da Câmara, Gussi ressaltou a importância da atuação de instituições como a CETESB e salientou a sustentabilidade como prioridade para o setor sucroenergético. “Temos dito na UNICA, e tenho ouvido de grandes amigos também, que já deixamos de ser um negócio sustentável para tratar a sustentabilidade como o negócio.  Essa, no fundo, é a chave e a catapulta necessária para o novo momento, em que vamos ter que atuar no regime de redução de emissões para evitar o aquecimento global e, com isso, as mudanças climáticas daí advindas”.

 

Sobre a Câmara Ambiental de Mudanças Climáticas

A Câmara Ambiental de Mudanças Climáticas é colegiada a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (SMA) e a CETESB, e tem caráter consultivo e propositivo, com o intuito de promover a melhoria da qualidade ambiental de São Paulo, a partir de uma interação entre o poder público e os setores produtivos e de infraestrutura do estado. A Câmara também visa estar alinhada com o cumprimento das metas discutidas no Acordo Ambiental de São Paulo, que conta com mais de 50 empresas signatárias.

Após a apresentação como presidente, Gussi passa a presidir as reuniões plenárias e promover as condições necessárias para o cumprimento das atribuições da Câmara. Além disso, fica responsável por submeter as propostas e documentos aos demais membros, e supervisionar o cumprimento das metas estabelecidas. O convite à presidência foi feito por Patrícia Iglesias durante o evento Pré-COP25 no ano passado.

Sustentabilidade da cana-de-açúcar

O setor sucroenergético tem uma forte atuação na preservação do meio ambiente no estado de São Paulo e vem trabalhando com a CETESB na contínua melhoria de suas práticas. Para além da redução de emissões de gases causadores do efeito estufa proporcionada pela cadeia do etanol – de 90 % menos CO2 em relação à gasolina –, os biocombustíveis apresentam este ano à sociedade um novo mecanismo de captura de carbono, os Créditos de Descarbonização – CBios, no âmbito do RenovaBio. Cada CBio representa uma tonelada de CO2 que deixa de ser emitida na atmosfera e possibilita a criação de um mercado de carbono no país.