fbpx

“O Renovabio é uma política de desmatamento zero”, disse o presidente da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Evandro Gussi, durante evento paralelo (side event) da 25° Conferência das Partes (COP 25), em Madri, nessa quinta-feira (12). O executivo participou de painel sobre as ações dos setores público e privado para o cumprimento das metas do Acordo de Paris. 

“Se você tem dez mil hectares de cana e retirar uma árvore, todos os dez mil hectares não podem ser incluídos no Renovabio. Este é o mais importante programa para o setor sucroenergético no Brasil. E, por causa desse programa, não vamos ter uma árvore derrubada”, destacou Gussi.

Durante a apresentação, o presidente da UNICA também destacou ações do setor que estão alinhadas com as metas brasileiras de redução das emissões de CO2, como aumento de fontes renováveis de energia, reflorestamento e redução das emissões para o setor de transportes. 

“Nos convertemos em um dos maiores serviços de redução de emissões de CO2 do mundo, já que o etanol pode reduzir as emissões em até 90% em comparação à gasolina. Além disso, a cana-de-açúcar é a principal fonte de energia sustentável do país, responsável por 17,4% da matriz energética nacional. Também reflorestamos mais de 200 mil hectares no estado de São Paulo. Já são mais de 40 milhões de mudas de mata nativa plantadas, o que resultou na recuperação de mais de oito mil nascentes”, disse Evandro Gussi. 

O painel foi organizado pelo Instituto Ethos e contou com participantes de diversos setores, entre eles, o Secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco, José Antonio Bertotti Júnior, o superintendente-geral da Fundação Amazonas Sustentável, Virgílio Viana, a assessora de Meio Ambiente da Rede do Pacto Global da ONU, Elisa Badziack. 

PACTO GLOBAL 

Lançado em 2000 pelas Nações Unidas, o Pacto Global é um chamado para que empresas trabalhem com base em dez princípios universais no âmbito dos Diretos Humanos, Trabalho, Meio Ambiente e Anticorrupção. Além disso, as corporativas devem desenvolver ações que contribuam para o enfrentamento dos desafios da sociedade. É a maior iniciativa de sustentabilidade corporativa do mundo, com mais de 13 mil membros ,em 160 países

Para Renata Camargo, gerente de Sustentabilidade da UNICA, o Pacto Global converge com as ações da entidade uma vez que esse é um significativo instrumento para produção e disseminação de conhecimento atrelado às melhores práticas de sustentabilidade. “Acreditamos que a sustentabilidade é a essência do nosso setor. Por isso, buscamos orientar nossas ações e de nossas associadas por meio de diretrizes que promovam o crescimento sustentável e um ambiente de competitividade econômica sadio”, concluiu.

Com a assinatura do Pacto, as empresas têm a responsabilidade de contribuir com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Os ODS são uma agenda global para 2030 com 17 objetivos contra a pobreza, a favor da proteção do planeta e que buscam garantir que todas as pessoas tenham paz e prosperidade.

O setor sucroenergético brasileiro avança com base nos ODS e cumpre com sete objetivos da agenda. Entre eles estão Energia Limpa e Sustentável, e Ação Contra a Mudança Global do Clima.

Em carta para o Secretário Geral das Nações Unidas, Evandro Gussi, presidente da UNICA, confirmou que a entidade apoia os dez princípios do Pacto Global e está comprometida em empreender esforços para divulgar publicamente o compromisso com a iniciativa.

COP 25

Representantes de quase 200 países participam, até o dia 13 de dezembro, da 25ª Conferência das Partes (COP 25), em Madri. Com o slogan “Hora da Ação” (Time for Action), o evento tem o mercado de carbono como um dos principais temas a serem tratados e traz o combate às mudanças climáticas como principal desafio.