fbpx

Embaixadas brasileiras querem intensificar negócios com etanol

1 de abril de 2010

undefinedPara apoiar a indústria sucroenergética do Brasil a conquistar novas oportunidades comerciais no mercado europeu, representantes do Ministério das Relações Exteriores (MRE) e funcionários contratados por consulados e embaixadas brasileiras em 19 países europeus estiveram na última terça-feira (30/03) na sede da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA). Durante a visita o grupo obteve mais informações sobre as perspectivas de produção do setor para os próximos anos.

“Os dados obtidos na UNICA reforçam os argumentos em favor do etanol brasileiro, consolidando ainda mais a presença do biocombustível na Suécia,” afirmou Ana Murphy, representante diplomática na embaixada brasileira em Estocolmo. A Suécia é  um dos principais e mais tradicionais consumidores do etanol brasileiro na Europa.

Como exemplo da integração bilateral, Murphy citou o projeto BioEthanol for Sustainable Tranport (BEST), que desde 2007, graças a uma parceria entre empresas brasileira e européias, mantém cerca de 400 ônibus rodando com uma mistura de 95% de etanol de cana em Estocolmo.

Para Romero Brito, da embaixada do Brasil em Londres, o principal desafio do etanol de cana na Europa são as barreiras comerciais e a desinformação gerada em relação aos benefícios sócio-econômicos e ambientais do biocombustível brasileiro. “Há muita dificuldade nesse sentido. Existe muita desinformação, ou informações distorcidas propositadamente, caso do mito de que a expansão da cana influencia negativamente na produção de alimentos,” ressaltou.

Estratégia comercial

A vinda do grupo ao Brasil faz parte de um programa de treinamento coordenado pelo MRE, cujo objetivo é preparar seus representantes na promoção de produtos brasileiros no exterior. A delegação faz parte da Secretaria de Promoção Comercial, chamadas de Secoms, espalhadas por 53 postos estratégicos para Brasil no mundo.

Além de oferecer suporte às empresas brasileiras em busca de novos negócios, as Secretarias atuam na participação de empresários em feiras, missões e eventos. Os adidos diplomáticos também terão de produzir pesquisas e análises de competitividade e concorrência dos produtos brasileiros no exterior.

Na opinião de Eduardo Leão de Sousa, diretor executivo da UNICA, o aprendizado dos representantes diplomáticos na UNICA é fundamental para a promoção do combustível renovável brasileiro em outros países. “Por fazerem parte do corpo consular ou da equipe das representações diplomáticas do Brasil em países europeus, importante que estejam bem alinhados com a atuação e os anseios do setor privado. O segmento sucroenergético, mais especificamente a UNICA, tem desenvolvido uma série de ações por meio de seus escritórios no exterior, e esta parceria com o MRE é fundamental para melhorarmos as exportações brasileiras de etanol na Europa e em outras regiões.”

Na UNICA, a delegação foi recebida por por Nayana Rizzo, relações institucionais da entidade. Todos os temas ligados à produção e utilização de etanol no País, desde o seu início, na década de 1970, quando houve a implantação do Programa Brasileiro do Álcool (Próalcool) até os dias atuais, foram abordados durante o encontro.