fbpx

Entrada do Grupo Aralco na Copersucar reforça modelo de gestão

30 de novembro de 2010

A entrada do Grupo Aralco na Copersucar é mais um ingrediente que reforça o modelo de associativismo e  de gestão no setor sucroenergético, avalia o presidente da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Marcos Jank. Para ele, no atual contexto de mudanças e consolidação no setor, é “relevante observar que o desenho da Copersucar mostra-se eficiente e com resultados significativos, contribuindo para fortalecer o setor como um todo.”

Na quinta-feira (25/11), a Copersucar anunciou oficialmente a adesão do grupo Aralco Indústria e Comércio, que controla as usinas Figueira, Generalco, Alcoazul e Aralco, todas no Estado de São Paulo. Com isso, a Copersucar passa a contar com 43 unidades produtoras associadas, localizadas em São Paulo, Paraná e Minas Gerais. Segundo a empresa, a capacidade de moagem na atual safra agora corresponde a 114 milhões de toneladas de cana, 33% acima da safra anterior.

Para a próxima safra, a empresa estima que a entrada de novos sócios vai agregar mais 20 milhões de toneladas à capacidade de moagem. Isso dará à Copersucar um volume de açúcar e etanol equivalente a 138 milhões de toneladas de cana para comercializar na safra 2011/12, crescimento de 21% em relação à safra 2010/11.

O diretor industrial da Aralco, José Bilharmil Pelho Filho, explica que o “modelo da Copersucar é bastante atrativo para nosso grupo, pois permite a manutenção da autonomia operacional de nossas usinas e, ao mesmo tempo, possibilita a nossa participação em toda a cadeia do negócio, incluindo logística, comercialização e inteligência de mercado”.

Fundado em 1978, o grupo Aralco foi um dos pioneiros em produção de etanol na região de Araçatuba. Além das duas usinas próprias (Aralco e Figueira), adquiriu 100% da Generalco em 1999 e 41% da Alcoazul, em 2004. O grupo emprega 4.500 pessoas.