fbpx

Etanol é destaque no maior salão de automóveis da Ásia

Etanol é destaque na Auto Expo 2023 na Índia

Pela primeira vez, o principal e maior salão de automóveis da Ásia, o Auto Expo Motor Show 2023, aberto ao público de 13 a 18 de janeiro em Greater Noida, na Índia, terá um pavilhão dedicado exclusivamente ao etanol. Serão de 3 mil metros quadrados dedicados ao combustível mais limpo do mundo. E o Brasil, segundo maior produtor mundial, estará presente para mostrar a contribuição do etanol para a mobilidade de baixo carbono.

Promovido pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar e Bioenergia (Unica), Arranjo Produtivo Local do Álcool (Apla), Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) e Ministério das Relações Exteriores, por meio da Embaixada do Brasil na índia, o espaço brasileiro ocupa 250 metros quadrados do pavilhão etanol. Em três seções, o visitante poderá interagir com elementos desenvolvidos para trazer experiências e conhecimentos sobre os benefícios do etanol para o meio ambiente, a saúde das pessoas e para melhorar a qualidade do ar nas cidades.

“É muito significativo quando um salão de automóveis dessa dimensão e importância dedica tamanha atenção para o etanol”, afirma o diretor-executivo da Unica, Eduardo Leão de Sousa. “Isso mostra a relevância do biocombustível, cuja produção já temos consolidada no Brasil há quase meio século, para a descarbonização da matriz de transportes”, completa.

Aliança no G20

O biocombustível, inclusive, está no radar do governo indiano, que sinalizou a intenção de promover uma Aliança Global de biocombustíveis no G20, cuja presidência está a cargo da Índia, em 2023, e do Brasil, em 2024. “Acreditamos que a Índia e o Brasil podem ajudar outras nações a ampliar o uso e da produção de etanol, assim como a desenvolver tecnologia flexfuel, que reduz em até 90% as emissões de CO2 com o uso de etanol”, afirma Eduardo Leão.

A delegação brasileira também terá, durante a Expo Auto, uma intensa agenda de reuniões, para fortalecer a cooperação entre os países na área de bioenergia. Estão previstas bilaterais com o presidente do G20, Amitabh Kant, com o diretor-geral da Confederação das Indústrias Indianas (CII), Chandrajit Banerjee, e com representantes do governo indiano, entre os quais dos ministérios de Petróleo e Gás e de Defesa do Consumidor, Alimentação e Distribuição Pública.

Na quarta-feira, dia 11, a Unica participa da 11ª edição do CII Bioenergy Summit “Transition Energy – Solution for a Sustainable tomorrow” (Transição de Energia – Solução para um Amanhã Sustentável), em Nova Déli, promovido pela Confederação das Indústrias Indianas. Na ocasião, será apresentada a experiência brasileira com o etanol ao longo das décadas.

Céu azul de volta

Na Auto Expo 2023, a experiência dos visitantes no espaço brasileiro começa em uma seção interativa, intitulada “Traga meu céu azul de volta”. Os elementos fazem referência ao potencial do etanol de melhorar a qualidade do ar, especialmente em metrópoles com enormes frotas veiculares. É conhecido o exemplo da cidade de São Paulo, quarta mais populosa do mundo, hoje considerada uma das metrópoles com o menor nível de poluição atmosférica. Em 2021, a cidade ocupou o 1.779º lugar na lista Dados da IQAir, plataforma que monitora e ranqueia a qualidade do ar ao redor do globo.

Outra seção apresenta uma experiência comum no Brasil, mas ainda desconhecida para a maioria dos indianos e outros participantes da feira. É a possibilidade de escolher entre gasolina e etanol na mesma bomba de combustível, ou usar de ambos os combustíveis, se o carro for flex fuel. A tecnologia, presente no Brasil desde 2003, é novidade na Índia, ainda em fase piloto.

“Quando a tecnologia flex foi desenvolvida no Brasil há duas décadas, o setor respondeu rapidamente à demanda, ampliando a capacidade de produção. Com isso, além de diversificar a matriz energética e reduzir as emissões de gases de efeito estufa, expandimos as oportunidades de emprego e renda no campo”, conta o diretor-executivo da Apla, Flávio Castellari. “É esta experiência que vamos compartilhar com a Índia e os outros países presentes na Auto Expo 2023”.

Centro de Excelência

Uma das novidades da área Brasil será o lançamento do Centro Virtual de Excelência (CoE) em bioenergia, desenvolvido pela Unica e pela Associação dos Fabricantes dos Automóveis Indianos (SIAM), parceira que promove todo o pavilhão etanol. Em 2022, as duas entidades firmaram um memorando de entendimento para promover o etanol nos dois países e contribuir com informações técnicas para que outras nações, com vocação para essa agroindústria, possam desenvolver a tecnologia.

O diretor geral da SIAM, Rajesh Menon, explica que o CoE lança as bases para que as duas organizações apoiem e complementem os esforços dos governos na promoção da bioenergia, biocombustíveis e outros combustíveis de base biológica para a mobilidade com baixo teor de carbono na Índia e no Brasil. “É realmente uma honra para a SIAM fazer parceria com a Unica para atingir o objetivo comum de mobilidade de baixo carbono por meio de uma combinação de etanol, tecnologia e investimento”, disse Menon.

Mobilidade Sustentável

O Brasil é o segundo maior produtor de etanol do mundo, depois dos Estados Unidos, e abriga a maior frota mundial de carros que usam etanol como combustível. Atualmente, toda gasolina brasileira é composta por 27% de etanol.

A Índia também tem um forte foco em biocombustíveis e antecipou em cinco anos, para 2025, a meta de alcançar uma mistura de 20% de etanol na gasolina. A Índia é o segundo maior produtor de açúcar do mundo, depois do Brasil, e tem o potencial de converter os estoques excedentes de açúcar em etanol.

Projeto ApexBrasil

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) e a Unica tornaram pública em fevereiro de 2008 uma estratégia para promover a imagem dos produtos sucroenergéticos no exterior, em especial do etanol brasileiro como uma energia limpa e renovável. As duas entidades assinaram um convênio que prevê investimentos compartilhados. O projeto pretende influenciar o processo de construção de imagem do etanol e demais derivados da cana-de-açúcar junto aos principais formadores de opinião mundial – governos e meios de comunicação, bem como empresas de trading, potenciais investidores e importadores, ONGs e consumidores.