fbpx

Etanol em carros flex já reduziu as emissões de CO2

30 de setembro de 2010

Nos últimos sete anos o uso de etanol na frota de veículos leves bicombustíveis no Brasil já evitou a emissão de cravados 103.449.303 toneladas de gás carbônico (CO2) na atmosfera. É o que aponta o “Carbonômetro”, ferramenta criada pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) que calcula a quantidade do poluente que deixou de ser emitida graças ao consumo do etanol em substituição à gasolina desde 2003, quando os carros flex começaram a ser vendidos no País. O etanol, em comparação à gasolina, emite 90% menos gases causadores do efeito estufa.

“Estas mais de 103 milhões de toneladas de CO2 evitadas pelos carros flex brasileiros equivalem à mesma quantidade que a Grécia emitiu em 2007 com a queima de combustíveis fósseis em geral,” compara o consultor de Tecnologia e Emissões da UNICA, Alfred Szwarc. O especialista acredita que o etanol no Brasil “continuará desempenhando um papel importante para a melhoria da qualidade ambiental, principalmente no que se refere ao combate ao aquecimento global.”

Segundo os novos critérios adotados pela Organização Não-Governamental (ONG) “SOS Mata Atlântica” para compensação de emissões de CO2, as emissões evitadas desde 2003 equivalem ao efeito do plantio e manutenção de mais de 331 milhões de árvores nativas ao longo de 20 anos.

Calculadora CO2

Além do Carbonômetro, a UNICA também desenvolveu a “Calculadora de CO2”.  A ferramenta serve para ajudar o consumidor brasileiro a compreender melhor a importância dos combustíveis renováveis como forma de reduzir a emissão de gases causadores do efeito estufa.

Acessível no site Etanol Verde, a Calculadora possibilita estimar as emissões de acordo com o tipo de veículo e os litros de combustível consumidos. Para obter o resultado, o internauta deve informar o modelo do seu carro, o combustível utilizado para abastecê-lo e o volume de etanol ou gasolina utilizado ou as distâncias percorridas em quilômetros, durante um mês.