fbpx

Ethanol Summit debate possibilidades de aumentar o fomento a etanol

8 de julho de 2015

O final da quinta edição do evento integrou discussões técnicas e políticas para que o setor de etanol viva sua retomada

O segundo e último dia do Ethanol Summit 2015 reuniu discussões políticas e técnicas que ressaltaram a importância do contínuo investimento no setor de biocombustíveis para sustentar o crescimento global e diminuir a intensa dependência dos combustíveis fósseis.

Um dos destaques do dia ficou por conta da realização de plenária entre os três governadores dos principais estados produtores de cana-de-açúcar no Brasil. Geraldo Alckmin (PSDB-SP), Beto Richa (PSDB-PR) e Marconi Perillo (PSDB-GO) abordaram as iniciativas adotadas em seus mandatos para incentivar a produção de etanol e bioenergia, bem como a necessidade de políticas federais mais consistentes para que o segmento tenha confiança para investir.

Outra questão discutida pelos governadores nesse painel foi relativa à redução de alíquotas para a produção sucroenergética. Em São Paulo, por exemplo, o ICMS (Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias) aplicado ao etanol é de 12%, o menor do país. Beto Richa e Marconi Perillo se comprometeram com medidas que possam diminuir essa alíquota em seus estados. Além disso, os três governadores assumiram o empenho em um trabalho conjunto para fortalecer o segmento de maneira nacional, em uma tarefa que possa dar mais segurança a produtores e empresários do setor.

O evento de abertura do segundo dia do Summit contou com a participação de nomes do setor empresarial e também do economista Delfim Netto, ex-ministro da Fazenda e do Planejamento, em plenária sobre o cenário macroeconômico do país e a busca pela competitividade para as energias renováveis. Delfim abordou dados sobre o crescimento econômico mundial e a necessidade do desenvolvimento e implementação de energias de fontes alternativas. ”É necessário mudar a forma de se aproveitar energia dissipada no ambiente e retomar a utilização dos combustíveis renováveis”.

O segundo dia do seminário contou ainda com a realização de diferentes painéis com discussões técnicas e conjunturais sobre o setor sucroenergético, com a exposição de diferentes iniciativas inovadoras, fruto de intercâmbio entre a tecnologia dominada pelas companhias brasileiras e as mais modernas ciências internacionais. Em formato 360º, os painéis ofereceram aos participantes a possibilidade de acompanhamento simultâneo de diferentes temas, de acordo com seu interesse e disponibilidade.

A edição 2015 do Ethanol Summit tem o patrocínio da Syngenta – importante organização mundial que investe em tecnologia para o desenvolvimento de uma produção agrícola sustentável – e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) – um dos maiores bancos de desenvolvimento do mundo e, hoje, o principal instrumento do Governo Federal para o financiamento de longo prazo e investimento em todos os segmentos da economia brasileira.

O evento também conta com o apoio das empresas: BASF, Clariant, FMC, Novozymes e do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes (Sindicom).