fbpx

Indefinição dos critérios de sustentabilidade na UE pode criar barreira ao etanol brasileiro

0
27 de abril de 2009

A tentativa de alguns países membros da União Européia (UE) de implementar a diretiva sobre o uso de combustíveis renováveis, antes que a definição de um critério de sustentabilidade seja concluída, pode significar a criação de uma nova barreira comercial para o Brasil. O alerta é do representante-chefe da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) na União Européia (UE), Emmanuel Desplechin, que foi palestrante na conferência Clean Moves, que aconteceu durante a Feira Industrial de Hannover, na Alemanha, nesta terça-feira (21/04/09).

 

“Sem uma definição uniforme para a UE, a interpretação dos critérios dos países membros pode variar, levando à necessidade de adequação com diferentes critérios de sustentabilidade, dependendo do destino final do produto. Isso não é plausível, já que cria uma barreira não-tarifária ao etanol de cana-de-açúcar”, afirmou o representante da UNICA.  A Diretiva Européia dos Biocombustíveis, aprovada no final de 2008, estabelece a incorporação obrigatória de 20% de energias renováveis na matriz energética européia até 2020. Metade deste percentual deverá ser alcançado pelo setor de transportes, que será suprido em sua maioria por biocombustíveis.

Stand da UNICA com a equipe de apoio da Apex

Desplechin se apresentou no segundo dia do evento, marcado para o período entre 20 e 24 de abril. A presença da UNICA na feira foi complementada com um stand, onde os visitantes puderam conhecer os benefícios da indústria brasileira de cana-de-açúcar e receber informações impressas sobre o setor sucroenergético nacional. O representante da UNICA ressaltou que na UE, em particular na Alemanha, onde a sustentabilidade dos biocombustíveis é questionada, é importante estar presente nos eventos e resgatar a confiança dos consumidores no etanol, desmistificando falácias muitas vezes veiculadas pela mídia.
“A contribuição do etanol brasileiro para a mitigação do aquecimento global tem sido destacada por estudos renomados, como o da Agência Internacional de Energia (International Energy Agency), que confirma os benefícios ambientais do etanol de cana-de-açúcar, que reduz em até 90% os gases de efeito estufa se comparado à gasolina”, concluiu.

 

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), ligada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior é parceira da Hannover Fairs do Brasil na feira da Alemanha. A Apex e a UNICA atuam em parceria desde janeiro de 2008 para promover a imagem do etanol brasileiro de cana-de-açúcar como energia limpa e renovável ao redor do mundo.

 

Para baixar a apresentação feita por Emmanuel Desplechin em Hannover, clique aqui.