fbpx

Indústria da cana perde Manoel Sobral

21 de agosto de 2013

“Lamentamos muito a perda de um grande parceiro e ilustre colaborador do setor sucroenegético.” Assim reagiu o diretor Técnico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Antonio de Padua Rodrigues, ao ser informado sobre o falecimento de Manoel Sobral Júnior. Ele estava internado no Centro Médico de Campinas, onde faleceu na madrugada de quarta-feira (21/08).

Por 15 anos, Sobral foi executivo do Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), trajetória que começou em 1979 quando a entidade ainda se chamava Centro de Tecnologia Copersucar. Ele foi responsável por iniciativas pioneiras, como a criação do Consórcio Internacional para a Biotecnologia da Cana-de-Açúcar que levou ao mapeamento genético da cana, processo extremamente importante no desenvolvimento de novas variedades.

“O setor deve muito ao trabalho competente e às iniciativas sempre produtivas do Manoel Sobral, uma pessoa que tem tudo a ver com o progresso e as realizações do CTC. Era uma pessoa muito bem formada que desempenhou um trabalho fundamental, que merece um sincero agradecimento de todos nós,” afirmou Werther Annichino, conselheiro da Copersucar e da UNICA que foi presidente do CTC durante 12 dos 15 anos em que Sobral atuou na entidade.

Nascido em Salvador no dia 29 de Janeiro de 1935, Sobral Júnior era graduado em Engenharia Eletrônica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) em São José dos Campos. Era também mestre em Ciência e doutor em Filosofia pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos. Foi o terceiro diretor da Faculdade de Engenharia de Campinas, que mais tarde daria origem às faculdades de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC), de Engenharia Mecânica (FEM) e de Engenharia Química (FEQ). Permaneceu no cargo a convite de Zeferino Vaz, então reitor da instituição, pelo período de 1971 a 1978.

Em 2010, Sobral Júnior foi um dos homenageados na primeira edição do Prêmio TOP Etanol. Na oportunidade ele recebeu o troféu de personalidade acadêmica, por suas contribuições para a cadeia produtiva da cana-de-açúcar.