fbpx

Mesmo com chuva, moagem cresce na primeira quinzena de outubro no Centro Sul

22 de outubro de 2009

Apesar das chuvas impactarem negativamente a moagem de cana-de-açúcar na Região Centro-Sul do País, o volume de cana obtido entre 1º e 15 de outubro foi o terceiro maior total quinzenal da safra 2009/10. Foram 35,2 milhões de toneladas processadas, um total de 18,1% acima da moagem na quinzena anterior (segunda quinzena de setembro) e 22,63% superior ao volume esmagado na mesma quinzena da safra passada.

O total da primeira quinzena de outubro foi inferior apenas aos totais verificados na segunda quinzena de julho e na primeira quinzena de agosto deste ano. As condições climáticas ao longo da quinzena foram mais favoráveis à colheita no estado de São Paulo, enquanto nos demais estados do Centro-Sul as condições foram semelhantes às da segunda quinzena de setembro, sendo o estado do Paraná o mais prejudicado.

No acumulado da safra, até 15 de outubro foram processadas 412,75 milhões de toneladas, volume 8,86% superior ao processado no mesmo período da safra anterior. A quantidade de produto obtido por tonelada de cana (ATR) foi de 138,37 quilos de açucares totais recuperados, 9,72% inferior ao obtido na mesma quinzena da safra passada. No acumulado da safra, a quantidade de produtos obtidos é de 132,81 quilos por tonelada, 5,87% inferior ao acumulado na safra anterior.

Portanto, apesar da quantidade de cana processada ter ficado 8,86% acima do registrado um ano atrás, a produção final de açúcar e etanol cresceu apenas 2,47%, devido à menor concentração do teor de açúcar na cana. A concentração mais baixa é conseqüência do desenvolvimento vegetativo da planta, causado pelas chuvas acima da expectativa ocorridas desde o mês de julho de 2009.

Das 23 unidades com a primeira moagem prevista para a safra 2009/2010, 18 já se encontram em operações.

Produção de açúcar e etanol

Quanto à produção de açúcar, o volume acumulado desde o início da atual safra é de 22,98 milhões de toneladas, 11,07 % superior aos 20,69 milhões produzidos no mesmo período da safra passada. Já a produção de etanol acumulada é de 17,95 bilhões de litros, 3,06 % inferior aos 18,52 bilhões produzidos na safra anterior. Do total de cana processada, 43,99% foram destinados à produção de açúcar e 56,01% ao etanol.

Comparando-se a produção da primeira quinzena de outubro com a anterior (segunda quinzena de setembro), verifica-se que a produção de etanol anidro foi o que mais cresceu: enquanto a moagem de cana cresce 18,1%, a de açúcar aumentou 21,96% e a de etanol anidro foi 23,64% superior, demonstrando claramente a priorização pelos produtores da produção de etanol anidro.

As saídas físicas de etanol ocorridas na primeira quinzena de outubro permanecem nos mesmos níveis das quinzenas anteriores. A redução nas saídas de etanol hidratado deve ocorrer a partir da segunda quinzena de outubro, em função dos preços relativos entre o etanol e a gasolina. Em cerca de 35% do mercado nacional, já se verifica uma relação de preços do etanol superior a 65% do preço da gasolina na bomba.

Para acessar os dados da safra, clique aqui.