fbpx

Mistura de etanol com isobutanol será utilizada na Le Mans Series

18 de março de 2010

Mais um combustível “limpo” foi incorporado à American Le  Mans Series (ALMS),  que se apresenta como a “série verde” do automobilismo, com corridas realizadas nos Estados Unidos e Canadá. Trata-se da mistura de etanol (80%) com isobutanol (20%), que será utilizada pela equipe da montadora japonesa Mazda durante as 12 Horas de Sebring, primeira prova da temporada 2010, marcada  para o próximo sábado (20/03), na Flórida.

Desenvolvido pela British Petroleum (BP), em pareceria com a DuPont, o novo combustível apresenta maior  densidade energética que outros biocombustíveis e será utilizado pela equipe Mazda em todas as corridas da ALMS deste ano.

Para Alfred Szwarc, consultor de emissões e tecnologia da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), o uso do produto na ALMS pode resultar em uma sinergia interessante. “A introdução da mistura de isobutanol com etanol em corridas é uma excelente oportunidade para avaliar o desempenho desse combustível em condições de uso e requisitos de segurança muito severos,” afirma.

O isobutanol é um tipo de álcool normalmente produzido a partir de propileno, matéria-prima de origem fóssil, muito usado como solvente na indústria, mas que, com a tecnologia da parceria BP-DuPont, também pode ser produzido a partir de biomassa.

“O isobutanol possui densidade energética superior à do etanol, apresentando economia de consumo próxima à oferecida pela gasolina. Se produzido de fontes renováveis, pode apresentar, ainda, características interessantes em termos de sustentabilidade,” explica Szwarc. “Todavia seu custo estimado de produção é superior ao do etanol de cana, que também possui outras vantagens sobre o novo produto, como menor toxidez, menor emissão de poluentes  e maior biodegradabilidade no ambiente, além de maior octanagem,” conclui.

Por dentro da ALMS

A American Le  Mans Series (ALMS) é o primeiro torneio automobilístico da América do Norte a ser reconhecido pela Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA, na sigla em inglês), pelo Departamento de Energia dos EUA (DOE) e pela Associação Internacional de Engenharia Automotiva (SAE) como “série verde”,  pelo fato de estimular e promover o uso de combustíveis com baixo teor de carbono. Além da recém incorporada mistura de etanol com isobutanol, mais quatro tipos de propulsão são aceitos nessas competições: motores que operam com E10 (mistura de gasolina com 10% de etanol), motores  Flex que operam com E85 (mistura de etanol com 15% de gasolina), motor a gasolina com sistema híbrido (opera em conjunto com motor elétrico) e motor que opera com diesel limpo (isento de enxofre).

As 12 Horas de Sebring (Flórida) é a primeira prova da ALMS e serve como um grande teste para as 24 Horas da Le Mans, uma das mais tradicionais corridas automobilísticas do mundo, realizada na França desde 1923. As regras de Sebring foram inspiradas na Le Mans, onde vários pilotos dirigem o mesmo carro durante as 12 horas da corrida.

A Sebring faz parte de uma série de corridas de longa e média duração que compõem a ALMS. Realizadas nos Estados Unidos e no Canadá, as provas variam de 1 hora e 40 minutos a 12 horas. As equipes competem em uma das quatro classes: LMP1 e LMP2, na Le Mans Prototype, e GT1 e GT2, na Grand Touring.