fbpx

Mudanças climáticas na pauta de encontro de Jank com secretário da agricultura dos EUA

0
13 de março de 2009


O papel dos biocombustíveis na luta contra as mudanças climáticas e o acesso ao mercado americano para o etanol produzido no Brasil foram os principais temas do encontro da manhã desta sexta-feira (13/03/2009), em Washington, entre o presidente da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Marcos Jank, e o Secretário da Agricultura dos Estados Unidos, Thomas Vilsack.


O secretario, que assumiu o cargo no início deste ano com a posse do presidente Barack Obama, deixou claro que a indústria de etanol dos Estados Unidos passa por um período de muitas dificuldades e que os esforços do governo americano estão voltados, nesse momento, para resultados de curto prazo.


Mais precisamente, Vilsack busca facilitar o acesso ao credito para usinas em dificuldades, bem como aumentar a mistura de etanol na gasolina comercializada nos Estados Unidos, hoje restrita a 10%. Na semana passada, um grupo de produtores de etanol nos EUA pediu à Agencia Ambiental Americana (EPA)  para aumentar a mistura para 15%. O EPA tem 270 dias para chegar a uma decisão.


O Secretário, que foi governador de Iowa, o principal estado americano produtor de etanol de milho, concordou com a visão apresentada por Jank sobre o importante papel dos bicombustíveis na discussão sobre mudanças climáticas, e a necessidade de reconhecimento global do etanol como ferramenta efetiva e imediata na redução de emissões de gases causadores do efeito estufa. Vilsack afirmou que admira o programa brasileiro de produção e uso de etanol, que considera “visionário”, assim como a posição de liderança conquistada pelo país com seu programa.


Apesar de reconhecer os desafios apresentados pelo Secretario Vilsack, Marcos Jank ressaltou as similaridades das agendas brasileira e americana e deixou clara sua preocupação com a volatilidade das exportações para o mercado americano de etanol, assim como os malefícios que essa volatilidade traz, tanto para os Estados Unidos quanto para o Brasil.