fbpx

Nota à imprensa sobre proposta da Agência de Proteção Ambiental

6 de julho de 2017

O mandato de 2018 para os biocombustíveis avançados anunciado nesta quarta-feira (05/07) pela Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA) é visto com preocupação pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA)Embora reflita continuidade no consumo desse biocombustível pelos Estados Unidos, a estimativa de importação de volumes de etanol de cana de açúcar brasileiro foi reduzida pela metade, de 757 milhões de litros (base ano 2017) para 378.5 milhões de litros em 2018.

Diante disso, nesse período de consulta pública, a entidade espera ter a oportunidade de demonstrar e reforçar à EPA o desempenho ambiental do etanol brasileiro e o quanto ele pode continuar a contribuir para uma matriz energética americana mais limpa, se as condições de mercado estiverem presentes.

O biocombustível avançado assumiu um papel importante no suprimento de combustíveis renováveis nos Estados Unidos. Nos últimos cinco anos, aproximadamente 4,54 bilhões de litros de etanol de cana foi importado do Brasil, o que representou 10% do consumo de biocombustiveis avançados em todo o território americano.