fbpx

Palmeiras renova Selo Energia Verde da UNICA

3 de julho de 2024

A Sociedade Esportiva Palmeiras conquistou, pelo segundo ano consecutivo, o Selo Energia Verde. O certificado, referente ao ano de 2024, foi emitido nesta terça (2) pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar e Bioenergia (UNICA). O atual bicampeão brasileiro recebeu o Selo ao se comprometer a adquirir energia elétrica renovável.

O Palmeiras tem contrato para aquisição de energia elétrica da comercializadora Capitale Energia Comercializadora que, por sua vez, também foi certificada pela UNICA por adquirir energia em volumes equivalentes de usina geradora de bioeletricidade (energia elétrica produzida a partir dos resíduos da cultura da cana-de-açúcar), contribuindo para o desenvolvimento dessa fonte renovável na matriz elétrica brasileira.

A certificação faz parte do Programa de Certificação da Bioeletricidade, iniciativa da UNICA em parceria com a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e apoio da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel).

Essa é mais uma ação do clube alviverde no programa Por Um Futuro Mais Verde, um projeto de responsabilidade institucional que conta com pilares econômico, social e ambiental. Em junho, mês do meio ambiente, o clube lançou uma camisa especial para alertas sobre os riscos do desmatamento das florestas brasileiras.

O Selo Verde

Desde 2015, o Programa vem certificando usinas produtoras, comercializadoras e consumidores de energia renovável advinda da bioeletricidade produzida a partir da biomassa da cana, conforme as diretrizes estabelecidas pelo Programa e contratos registrados na CCEE. Trata-se da primeira inciativa no mundo focada estritamente no setor sucroenergético, com renovação anual e sem qualquer custo para os agentes.

Atualmente, 51 usinas produtoras de bioeletricidade sucroenergética detêm o Certificado Energia Verde, permitindo que comercializadoras e consumidores do mercado livre comprem bioeletricidade dessas usinas e possam receber o Selo Energia Verde da UNICA, ao se enquadrarem nas diretrizes gerais do programa.

De acordo com Zilmar Souza, gerente de bioeletricidade da UNICA, essas 51 usinas certificadas, ao longo de 2024, devem produzir quase 10 mil GWh, equivalente a 1/3 da geração de energia pela Usina Belo Monte no ano passado ou a atender 4,7 milhões de unidades consumidoras residenciais no ano.

“Outro ponto importante é a sustentabilidade dessa geração para a rede. Estimamos que essa geração pela biomassa da cana evitará a emissão de 3 milhões de tCO2, marca que somente seria atingida com o cultivo de 21 milhões de árvores nativas ao longo de 20 anos. Uma energia renovável que os consumidores no mercado livre, como o Palmeiras, podem incentivar na sua expansão na matriz elétrica brasileira”, conclui Souza.