fbpx

Potencial para produzir cana atrai governador de província argentina ao Brasil

0
8 de setembro de 2008


O governador da província de Chaco, na Argentina, Jorge Milton Capitanich, visitou a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), nesta segunda-feira (08/09/08), para conhecer a experiência brasileira de produção e utilização de etanol como combustível veicular.



Chaco é a segunda região da Argentina com maior potencial para a produção de cana-de-açúcar e, devido a políticas de promoção aos biocombustíveis no país, tem despertado o interesse de novos investidores. A Argentina já adotou a adição de 5% de etanol à gasolina, percentual que deverá atingir 10% até 2010, como estímulo ao desenvolvimento do setor sucroenergético.



“Os números da produção brasileira de etanol são impressionantes. A Argentina apresenta um potencial ainda a ser concretizado”, afirmou o governador de Chaco, durante a apresentação feita pela assessora internacional da UNICA, Géraldine Kutas.



Ela mostrou que o Brasil substituiu 50% de seu consumo de gasolina pelo etanol, com uso de apenas 1% de suas terras aráveis.



Acompanhado pelo diretor-executivo da UNICA, Eduardo Leão de Sousa, e pelo diretor de comunicação corporativa, Adhemar Altieri, o governador do Chaco quis saber sobre a indústria de veículos flex, que revolucionou o setor sucroenergético no Brasil e favoreceu a expansão da produção do etanol hidratado. Géraldine revelou que hoje existem 63 modelos flex de dez marcas diferentes no mercado do Brasil.



Leão afirmou que um dos pilares de sustentação do avanço do setor é o investimento em tecnologia de produção agrícola e industrial e citou como uma referência mundial de pesquisa e desenvolvimento o Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), uma entidade privada mantida por mais de 170 usinas. “O desenvolvimento de novas variedades e manejo agrícola e industrial permitiu ganhos de produtividade a uma taxa de 2,7% ao ano, tornando o etanol brasileiro o mais competitivo no mundo”, concluiu Leão.