fbpx

Preço do etanol para usinas recua nas últimas semanas

10 de março de 2010

undefinedO preço pago pelo etanol hidratado aos produtores no Estado de São Paulo manteve tendência de queda nas últimas seis semanas, um recuo médio de 22,44%, ou o equivalente a R$ 0,27 por litro. No entanto, o preço ao consumidor nas bombas ainda não apresentou uma redução significativa, com uma queda de apenas R$ 0,04 por litro no mesmo período, de acordo com dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da USP.

Essa demora para o repasse de preço do produtor ao consumidor tem prejudicado a competitividade do etanol frente à gasolina. Na última semana, apenas no Estado do Mato Grosso a paridade dos combustíveis foi inferior a 70%. Este indicador avalia o preço relativo do etanol hidratado comparado ao preço da gasolina tipo C, utilizando como parâmetro de competitividade para o etanol o limite de 70% do preço do litro da gasolina na bomba.

Vendas

No mês de fevereiro, as vendas do etanol totalizaram 1,23 bilhão de litros, sendo 1,21 bilhão destinadas ao mercado doméstico e apenas 18,19 milhões à exportação. No mercado interno, as vendas de etanol hidratado sofreram uma retração significativa neste mês, com queda de 28,29% ou o equivalente a 760,13 milhões de litros vendidos, contra 1,06 bilhão de litros em janeiro.

Caso toda a queda de preços observada para o produtor no etanol hidratado tivesse sido repassada ao consumidor, o volume de vendas em fevereiro teria sido muito maior. No entanto,  o volume de 760,13 milhões apurado em fevereiro é significativo já que somente em dois estados, Mato Grosso e Goiás, os preços permaneceram competitivos. Observada esta nuance, é possível dizer que o consumidor não tem escolhido o produto somente em função dos preços, mas reconhecendo também os benefícios sociais e ambientais do etanol.

No acumulado da safra desde o início de abril de 2009, o volume de etanol comercializado pelas unidades produtoras da região Centro-Sul alcançou 23,36 bilhões de litros,  2,18% superior ao total observado para o mesmo período da safra passada.

Usinas iniciam nova safra

Na última quinzena de fevereiro, o número de empresas em produção na Região Centro-Sul totalizou 47 usinas, sendo que 5 delas haviam encerrado a safra 2009/2010 no final de dezembro e já iniciaram a produção da nova safra.

Com isso, a moagem acumulada na safra 2009/2010 até o final de fevereiro chegou a 535,30 milhões de toneladas. A cana processada pelas unidades que já iniciaram a nova safra (safra 2010/2011) alcançou 270 mil toneladas.

Na segunda quinzena de fevereiro, a moagem na Região Centro-Sul atingiu 2,27 milhões de toneladas, apresentando uma pequena queda em relação as 3,00 milhões de toneladas processadas na primeira quinzena do mês.

Qualidade da matéria-prima

Apesar do avanço da moagem, no acumulado até o final de fevereiro a quantidade de produtos obtidos a partir da cana processada na safra 2009/2010 permanece 1,50% inferior ao volume disponível no mesmo período da safra passada. Isto ocorre devido à menor quantidade de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de cana na safra 2009/2010, que até o momento é de 130,51 kg de ATR/tonelada de cana, 10,4 quilos abaixo do apurado no mesmo período do ano anterior.

Mix e produção de açúcar e de etanol

Do total da cana processada na safra 2009/2010 até o momento, 42,87% foi destinada à produção de açúcar e 57,13% ao etanol. No acumulado desde abril de 2009, a produção de etanol alcançou 23,33 bilhões de litros, sendo 17,13 bilhões de etanol hidratado – crescimento de 3,74% sobre a safra anterior – e 6,19 bilhões de etanol anidro, com queda de 26,93% relativamente à safra 2008/2009. Apesar dos preços mais remuneradores, a produção acumulada de açúcar cresceu apenas 6,86% na safra 2009/2010, totalizando 28,53 milhões de toneladas.

A produção acumulada da nova safra (2010/2011) até o final de fevereiro totalizou 2,10 mil toneladas de açúcar e 13,80 milhões de litros de etanol.

Para acessar os dados da safra, clique aqui.

Sobre os dados da safra

Os dados divulgados nesta atualização de safra são compilados e analisados pela UNICA, com números fornecidos pelos seguintes sindicatos e associações de produtores da Região Centro-Sul:

ALCOPAR – Associação dos Produtores de Etanol e Açúcar no Estado do Paraná
BIOSUL – Associação dos Produtores de Bioenergia do Mato Grosso do Sul
SIAMIG – Sindicato da Ind. de Fabricação do Etanol no Estado de Minas Gerais
SIFAEG – Sindicato da Indústria dos Fabricantes de Etanol do Estado de Goiás
SINDAAF – Sindicato Fluminense dos Produtores de Açúcar e Etanol
SINDALCOOL – Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras de Mato Grosso
SUDES – Sociedade das Usinas e Destilarias do Espírito Santo