fbpx

Projeto AGORA: Ação educacional focará municípios canavieiros

13 de janeiro de 2010

undefinedDepois do Desafio Mudanças Climáticas, ação educacional realizada em 2009, o Projeto AGORA prepara outra iniciativa para 2010, só que desta vez voltada para a cadeia produtiva da cana-de-açúcar atingindo os 100 maiores municípios canavieiros do Brasil. Previsto para começar em março, a nova ação educacional vai atingir cerca de 5.000 escolas nos estados de São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás.

“Este projeto vai levar educação e informação aos estudantes que estão muito próximos do setor, para que compreendam as diversas formas como suas comunidades são impactadas por ele. Queremos conscientizar estes jovens que, no futuro, provavelmente virão a se envolver profissionalmente com o setor sucroenergético”, afirmou o presidente da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Marcos Jank.

Nesta nova ação serão envolvidas as escolas municipais, as regionais estaduais e também as particulares. Como no projeto anterior, serão distribuídos kits educacionais às escolas, e um site oficial será criado para apresentar todo o material utilizado e divulgar as informações adicionais sobre inscrição e regulamentos.

Segundo o diretor de comunicação corporativa da UNICA, Adhemar Altieri, o trabalho nos municípios canavieiros será diferente da ação anterior. “Desta vez queremos fazer algo que envolva toda a região. Levar o assunto não somente para as salas de aulas, mas também, realizar palestras e workshops nas comunidades”.

Projeto AGORA

Esta ação dá continuidade às iniciativas educacionais do Projeto AGORA, que reúne os sindicatos estaduais dos produtores de açúcar e etanol de Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Paraná; a UNICA; e as empresas Itaú-Unibanco, Monsanto, Basf, Dedini e SEW Eurodrive.

A primeira ação do Projeto, o Desafio Mudanças Climáticas, realizado de agosto a novembro de 2009, foi idealizado para informar professores e estudantes sobre as causas do aquecimento global, bem como o papel das energias renováveis nesse contexto. A iniciativa recebeu trabalhos de 3,6 mil estudantes de escolas do ensino fundamental de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, Bahia e Distrito Federal.