fbpx

“Sustainable Mobility: Ethanol Talks” (Mobilidade Sustentável: Conversas sobre o Etanol) foi o título do road show promovido pela União das Indústrias de Cana-de-Açúcar (UNICA), pelo Apla-Arranjo Produtivo Local do Álcool, Ministério das Relações Exteriores e pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Durante os dias 24 de fevereiro e 5 de março, representantes dessas quatro entidades levaram especialistas brasileiros para Índia, Tailândia e Paquistão a fim de promover uma série de seminários técnicos sobre o etanol e apresentar a experiência brasileira de mais de 40 anos de uso desse biocombustível. A participação da UNICA faz parte do projeto setorial com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

“Terminamos o road show pela Ásia com a sensação de dever cumprido porque ficou claro que o etanol, o combustível do presente, tem tudo para ser também o combustível do futuro na mobilidade sustentável do século 21. Esses países perceberam a larga experiência, o largo caminho trilhado pelo Brasil e o quanto isso foi benéfico para nós e o quanto eles podem aproveitar dessa experiência. Sem dúvida, ações como esta têm contribuído para que o etanol seja conhecido e reconhecido como um dos grandes ativos brasileiros e, quiçá, um dos grandes ativos do mundo”, comentou o presidente da UNICA, Evandro Gussi.

Para o diretor executivo da União das Indústrias de Cana-de-Açúcar, Eduardo Leão, o resultado positivo desta série de seminários envolveu diferentes fatores. “O modelo do road show teve algumas características importantes. Primeiro, um planejamento muito grande, que envolveu não só conhecimento prévio, mas também uma missão precursora para identificar todos os gaps e envolver os agentes locais para também serem donos deste projeto. O segundo ponto foi a parceria com o governo brasileiro, o que ajudou a criar um ambiente mais favorável nesses países. Terceiro, o fato de nós termos levados todos os especialistas que podiam contribuir com o que falta de conhecimento nessas regiões. Então, eu acho que essa combinação fez com que o resultado fosse mais efetivo”.

Índia

Nova Déli, na Índia, foi a primeira parada do road show. No país, o Ethanol Talks contou com o Indian Sugar Mills Association (ISMA) como parceiro para promover o evento, reunir stakeholders e os 120 participantes que estiveram presentes. Os seminários repercutiram na mídia indiana, que divulgaram a possibilidade de o Brasil ajudar a Índia na mistura de etanol na gasolina, além de promover o etanol como alternativa sustentável.

O aumento na produção de etanol na Índia vai ajudar a diminuir os altos índices de poluição atmosférica registrados no país, além de dar uma alternativa para parte da sua produção de Açúcar Total Recuperável (ATR). No ano passado, a Índia alcançou 5,8% de mistura de etanol na gasolina e a meta é alcançar 10% até 2022.

Tailândia

A segunda parada do Ethanol Talks foi Bangkok, na Tailândia. Em parceria com a Thai Sugar Millers, especialistas brasileiros promoveram o uso do etanol como energia alternativa no país. A troca de experiência com o Brasil ajudou o país com seu objetivo de instituir o E20 (20% de mistura de etanol na gasolina) a partir do terceiro trimestre deste ano. Assim como o Brasil, a Tailândia é considerada um gigante na indústria mundial de cana-de-açúcar.

Os seminários e palestras promovidos reverberaram na mídia espontânea local, que divulgaram os temas abordados no evento, como os benefícios para o meio ambiente e para os agricultores gerados pelo aumento na produção de etanol.

Paquistão

Por último, o road show levou os técnicos e especialistas brasileiros para compartilhar conhecimentos em Islamabad, no Paquistão. A parceira do Ethanol Talks no país foi a Pakistan Sugar Mills Association (PSMA), que ajudou na promoção do evento que reuniu 110 participantes.

A mídia local comunicou o acontecimento do brainstorm e citou o etanol como alternativa de energia para o Paquistão. Também foi divulgada a larga experiência brasileira com o biocombustível e o grande potencial de cooperação entre Brasil e Paquistão para o aumento na produção de etanol.

Projeto

A Apex-Brasil e a UNICA tornaram pública em fevereiro de 2008 uma estratégia para promover a imagem dos produtos sucroenergéticos no exterior, em especial do etanol brasileiro como uma energia limpa e renovável. As duas entidades assinaram um convênio que prevê investimentos compartilhados. O projeto pretende influenciar o processo de construção de imagem do etanol e demais derivados da cana junto aos principais formadores de opinião mundial – governos e meios de comunicação, bem como empresas de trading, potenciais investidores e importadores, ONGs e consumidores.