fbpx

Setor sucroenergético em pauta no principal encontro Brasil-França

16 de dezembro de 2016

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) e o Movimento das Empresas da França (MEDEF) realizaram no dia 21 de novembro, em Paris, o IV Fórum Econômico Brasil-França. O evento, criado para impulsionar os negócios, as trocas comerciais e as parcerias de longo prazo estabelecidas pelos países, reuniu aproximadamente 200 pessoas, entre autoridades governamentais, executivos e empresários franceses e brasileiros.

A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), representada por sua assessora sênior da Presidência para Assuntos Internacionais, Géraldine Kutas, participou de um painel sobre Agronegócio, moderado por Alexis Duval, presidente da Diretoria do Grupo Tereos e presidente do Comitê de Relações França-Brasil do MEDEF Internacional. A presença estratégica da UNICA no Fórum foi mais uma ação do projeto que a entidade mantém em parceria com Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), onde o objetivo principal é promover o etanol de cana-de-açúcar como combustível limpo e renovável no exterior.
Alexis DuvalEm sua apresentação, Géraldine lembrou que a cana-de-açúcar é a primeira fonte de energia limpa do país. Explicou os diversos usos do etanol, inclusive o de segunda geração (2G), bem como o case de sucesso do carro flex. A Bioeletricidade sucroenergética, sua complementariedade com outras fontes, o potencial de geração e a localização privilegiada das usinas produtoras, perto dos centros de consumo de energia, também estiveram em pauta. Por fim, a executiva destacou os compromissos brasileiros assumidos na COP21.

“O etanol é parte fundamental para que o Brasil cumpra suas metas no combate às mudanças climáticas apresentadas à ONU e ratificadas pelo congresso. A proposta prevê a necessidade de 54 bilhões de litros de etanol em 2030, ou seja, dobrar a produção do biocombustível. Só vamos alcançar este número com grandes investimentos no setor e o capital estrangeiro é muito bem-vindo,” completou a executiva.

Além de Géraldine, o painel também contou com a participação de Marcio Carlos, adido Agrícola da Missão do Brasil junto à União Europeia, de Caroline Rayol, responsável por Bioenergia, Biocombustíveis e Biogás do Club IAR do Brasil, François Burgaud, presidente da Adepta, e Michel Nalet, diretor de Relações Externas da Lactalis.

Durante o Fórum foram realizados painéis abordando questões ligadas à infraestrutura, energia, indústria, saúde e inovação. A delegação brasileira contou com forte representação: os ministros Marcos Pereira (Indústria, Comércio Exterior e Serviços); Maurício Quintella (Transportes, Portos e Aviação Civil); Wellington Moreira Franco, secretário-executivo do Programa de Parcerias e Investimentos da Presidência da República), Roberto Jaguaribe, presidente da Apex-Brasil, Robson Braga de Andrade, presidente da CNI, entre outros líderes de empresas, indústrias e federações do Brasil.