fbpx

Sustentabilidade dos biocombustíveis continua em foco na UE

0
23 de março de 2009

Três meses após a publicação da Diretiva sobre Energias Renováveis nos Transportes, aprovada pela Comissão Europeia no final de 2008 (clique aqui e saiba mais), o tema sustentabilidade continua em alta na União Europeia (UE). O assunto esteve no centro das discussões da conferência World Biofuels Markets, realizada em Bruxelas (16 a 18 de março de 2009), que contou com personalidades e autoridades de todo o mundo e a participação da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA).

Emmanuel Desplechin, representante-chefe da UNICA em Bruxelas, apresentou os esforços da indústria pela sustentabilidade, detalhando iniciativas nos planos econômico, social e ambiental. “Os associados da UNICA têm mais de 600 projetos ambientais e sociais catalogados no relatório de sustentabilidade publicado pela entidade em 2008. Foram investidos R$ 160 milhões, atingindo quase meio milhão de pessoas”, informou Desplechin.
“Dentre as iniciativas encontram-se as voltadas para a melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores, racionalização do uso da terra e da água, mitigação dos efeitos da mecanização da colheita e preservação de ecossistemas”, completou. O executivo da UNICA defendeu a replicação do modelo brasileiro de produção de biocombustíveis – tido como o mais bem-sucedido do mundo – em outros países em desenvolvimento.

Na abertura do congresso voltado a estreitar os laços globais de negócios do segmento de biocombustíveis, o músico, ativista e empresário Bob Geldof também já havia defendido as vantagens que os biocombustíveis podem produzir em regiões do mundo como a África, que através deles, podem conquistar independência energética e lutar contra a pobreza.

Sobre os impactos da crise financeira internacional, os participantes perguntaram a Desplechin se podem ser feitas previsões das possíveis conseqüências e impactos no setor sucroenergético brasileiro. Em resposta, ele lembrou que as usinas produtoras no Brasil estão fortemente apoiadas no mercado interno de etanol, cuja demanda continua se expandindo.

“Os negócios estão bem-sustentados economicamente, graças ao peso crescente dos veículos flex no mercado brasileiro, que representam quase 90% das vendas de veículos novos no país, o que mantêm a demanda por etanol em alta.” Desplechin afirmou ainda que várias novas usinas tiveram seus lançamentos adiados em função da crise, mas reforçou que o setor mantém seus fundamentos sólidos.

A participação da UNICA em Bruxelas aconteceu dentro do escopo do projeto Apex-Brasil/UNICA, iniciado em janeiro de 2008. A parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), ligada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, tem como objetivo promover a imagem do etanol brasileiro de cana-de-açúcar como energia limpa e renovável ao redor do mundo.

Clique nos links abaixo para baixar as duas apresentações feitas pelo representante da UNICA para a União Européia, Emmanuel Desplechin, durante a conferência World Biofuels Markets:

Dia 17/03/2009 – /download.php?mmdCode=0FF20FD0-4A93-4FDF-86FE-ABA32C7836EADia 18/03/2009 – /download.php?mmdCode=19C77E9C-5B22-4AD3-BF64-1F2C7C40D395