fbpx

Syngenta passa a integrar o Projeto AGORA a partir de abril

23 de fevereiro de 2011

Uma das principais empresas do mundo do ramo de tecnologias agrícolas, a suíça Syngenta, é a mais nova integrante do Projeto AGORA. A decisão de participar de uma das maiores iniciativas de comunicação integrada já implementadas no agronegócio brasileiro foi confirmada em reunião realizada no dia 11 de fevereiro. Com a nova adesão, o AGORA passa a contar com dez empresas e dez entidades ligadas à cadeia produtiva da cana-de-açúcar.

A participação oficial da Syngenta no AGORA terá início em março, na próxima reunião de representantes das empresas e entidades que compõe o projeto. No encontro serão finalizados os detalhes das ações previstas para 2011, entre as quais está a realização do 2º Prêmio TOP Etanol e a realização de uma nova rodada das oficinas pedagógicas “Estudos Municípios Canavieiros”.

“A Syngenta, por ter entre seus principais focos a cana-de-açúcar, reconhece a importância do Projeto AGORA como a principal iniciativa de educação e comunicação dentro da cadeia sucroenergética,” explica o gerente de relações institucionais e governamentais da Syngenta, Newton Galvão. Ele acrescenta que a empresa participa ou patrocina ainda de uma série de atividades sócio-ambientais, como o projeto “Escola no Campo”, cujo propósito é promover a conscientização da comunidade agrícola sobre questões relacionadas à produção sustentável, além do Projeto RenovAção, uma parceria da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) com a Federação dos Empregados Rurais Assalariados do Estado de São Paulo (Feraesp) para a requalificação de ex-cortadores de cana impactados pelo avanço da mecanização da colheita de cana.

Valor agregado

Para Marcos Jank, presidente da UNICA, uma das dez entidades que compõem o Projeto AGORA, a Syngenta “agregará ainda mais valor à iniciativa, que em menos de dois anos de vida já conquistou importantes resultados, principalmente no que tange à educação, conscientizando milhares de jovens sobre os benefícios sócio-ambientais proporcionados pela atividade canavieira.” Somados os recentes trabalhos do “Desafio Mudanças Climáticas 2009” e o “Municípios Canavieiros 2010”, o Projeto AGORA já atingiu mais de 2,2 milhões de estudantes da rede pública de ensino em nove estados brasileiros.

Para Newton Galvão, “a cana é fundamental para o futuro do Brasil, devido a sua múltipla utilidade e potencial. Além disso, responde às principais questões da sociedade relacionadas à produção de alimentos e energia renovável. Estamos comprometidos com o desenvolvimento deste setor”.