fbpx

A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), a Associação Brasileira de Transporte e Logística de Produtos Perigosos (ABTLP) e o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes (Sindicom) anunciaram, hoje, uma parceria para distribuir o álcool 70 que passará a ser produzido por usinas voluntárias associadas à UNICA nos próximos dias, com a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). As empresas associadas ao Sindicom doarão o óleo diesel necessário para o transporte, e os membros da ABTLP farão o deslocamento do material em veículos próprios. A operação não terá custos para os cofres públicos.

Os detalhes operacionais estão sendo delineados com os órgãos competentes, sendo que o transporte se dará das usinas até pontos de processamento industrial, para a transformação em gel ou envase da solução líquida. Após, sob a coordenação das Secretarias Estaduais de Saúde, o produto seguirá para as unidades públicas de saúde.

“Vivemos um momento que demanda união e com essa parceria conseguiremos criar uma operação adequada para superar os desafios impostos pelo COVID-19 e contribuir com diversos estados da nação”, avalia Evandro Gussi, presidente da UNICA.

“Diante do impacto sócio econômico que poderá provocar o COVID-19, temos que nos unir com os governos para ajudar a combater a propagação do vírus”, esclarece José Maria Gomes, presidente da ABTLP.

O Sindicom destaca que “a entidade e suas empresas associadas estão empreendendo todos os esforços possíveis em prol da sociedade e estão atentos e a postos para a efetivação de ações pró ativas para que o País atravesse esse período de crise. Essa importante iniciativa em tela vem exatamente nesse sentido”.

O objetivo da ação é contribuir com o abastecimento das unidades públicas de saúde, de forma gratuita, a fim de conter a disseminação do COVID-19. Todas as demandas por doações devem ser direcionadas às Secretarias Estaduais de Saúde. O processo de produção e distribuição do álcool em gel considerará ainda medidas de higiene e etiqueta respiratória dos profissionais que estiverem nessa operação, respeitando as orientações do Ministério da Saúde e da OMS.