fbpx

UNICA prevê que safra 2008/09 será a maior da história

0
17 de abril de 2008

A UNICA anunciou as estimativas para a nova safra na Região Centro-Sul, onde se concentram 86% da produção nacional. A cana moída deverá atingir 498,1 milhões de toneladas, um crescimento de 16% em relação à safra 2007/08, quando foram moídas 431,2 milhões de toneladas de cana.


A produção de açúcar chegará a 28,6 milhões de toneladas, 9% acima do registrado no período anterior, cuja produção foi de 26,2 milhões. O álcool anidro atingirá 7,65 bilhões de litros, 6% a mais em relação aos 7,24 bilhões de litros produzidos na safra anterior. O crescimento do álcool hidratado será de 27%, chegando a 16,6 bilhões de litros. Na safra anterior esse volume foi de 13,1 bilhões de litros.


A produção total de álcool deverá atingir 24,3 bilhões de litros, um crescimento de 19% em relação aos 20,3 bilhões de litros registrados na safra 2007/08. O mix de produção será de 42% de açúcar e 58% de álcool.


Em relação à comercialização externa, o volume de etanol exportado será 27% superior ao da safra passada, atingindo 3,9 bilhões de litros. Estados Unidos (direto ou via Caribe) e Europa devem responder por boa parte do aumento nas exportações. “O etanol brasileiro está ampliando a sua posição competitiva no mercado externo, apesar das críticas infundadas e campanhas negativas contra a longa experiência de energia limpa e renovável já consolidada pelo Brasil”, enfatizou Marcos Jank, presidente da UNICA. Já as exportações de açúcar terão um incremento de 15%, chegando a 18,9 milhões de toneladas e os principais mercados serão Rússia, Arábia Saudita e Emirados Árabes.


A partir da safra 2008/09, 32 novas usinas entram em operação na região centro-sul, das quais treze em São Paulo, dez em Goiás, quatro em Minas Gerais, quatro em Mato Grosso do Sul e uma no Paraná. Desde 2005, 84 novas usinas entraram em produção na região Centro-Sul do País, incluindo as novas usinas que iniciam suas atividades nesta safra.


“O etanol produzido a partir da cana-de-açúcar assume uma importância crescente na economia brasileira, gerando empregos, abrindo novos mercados e trazendo grandes ganhos ambientais para a sociedade”, destacou Antônio de Pádua Rodrigues, diretor-técnico da UNICA. 


A mecanização da colheita também demonstra a evolução tecnológica do setor. A expectativa é de que a colheita mecanizada continue crescendo. Na última safra, 47% da colheita no Estado de São Paulo já foi mecanizada, contra 34% registrados na safra 2006/07. De um total de 169 usinas, 145 já aderiram voluntariamente ao Protocolo Agroambiental, assinado em 2007 entre a UNICA, os fornecedores de cana e o governo do Estado de São Paulo. O protocolo antecipa o fim da queima e a introdução da colheita mecanizada para 2014 em áreas mecanizáveis, e 2017 para áreas atualmente não-mecanizáveis.


Confiabilidade e precisão


O levantamento da UNICA utiliza metodologia e fonte de dados de renomadas instituições de pesquisa. O INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) realiza um levantamento da área de cana-de-açúcar na região Centro-Sul por meio de imagens de satélite, permitindo avaliar a evolução da área cultivada com cana e o crescimento da colheita de cana crua. Já as informações sobre qualidade, produção e produtividade das unidades produtoras resultam do PAMPA (Programa de Acompanhamento Mensal de Performance Agrícola) e do CTC (Centro de Tecnologia Canavieira). Na safra passada, as 149 usinas que participaram deste programa de benchmarking foram responsáveis por 66% da produção de cana-de-açúcar na Região Centro-Sul. O CTC também desenvolveu o Censo Varietal, a maior pesquisa sobre variedades de cana no Brasil. Esse trabalho é realizado há 28 anos e no período de 2007/2008 recebeu informações de 277 unidades produtoras. Para obter dados confiáveis e precisos, a UNICA envia questionários às usinas e realiza visitas nas novas unidades, além de coletar informações junto às entidades estaduais do setor.


Clique aqui para ver a apresentação integral com os dados da safra 2008/09.